sábado, 19 de janeiro de 2008

OS MORROS DO KALENGUER

Deixei que
As asas do Tempo
Me transportassem
Até àquelas
Formações rochosas.
Uma a par
Da outra.
Quase perto...
Ali postas
Porque o morro
Que as sustenta
Gemeu a dor
Da
Criação.
Não cansam
O diálogo
Há tanto construído
Pelo infinito
Do Mundo.
Nada abalou
A
Serenidade!...
Só,
Só o meu olhar
Até
Hoje!...

Luanda, Rua Fernão Lopes, Nº 38
2007.11.04
20H55
João Abreu (Necas)

2 comentários:

vgrenha disse...

João Abreu
que é feito de ti?
Vitor Grenha
vgrenha@netcabo.pt

António Rendeiro disse...

olá dr o que é feito de si?
sou o António Rendeiro de Leiria e gostava de saber noticias suas.
Um abraço espero noticias suas.

António Rendeiro
antoniorendeiro@live.com.pt
tlm-966131278